Buscando a notícia para você desde 2007 - Costa do Sol - Ano 10 -

Uma porta fechou ? Procure a janela.

Um homem trabalhava como porteiro no pior lugar da cidade. Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem a escrever. Certo dia, entrou como gerente um jovem cheio de ideias, que decidiu modernizar o estabelecimento. Disse ao porteiro:

– A partir de hoje, o senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários sobre os serviços.
– Eu adoraria fazer isso senhor, mas eu não sei ler nem escrever.
– Ah! Sinto muito! Mas sendo assim não poderá trabalhar mais aqui.

O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. O que fazer? Lembrou-se de que, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava. Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um novo emprego.

Decidiu que usaria o dinheiro de sua indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa. Como o povoado não tinha casa de ferragens, viajou dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.

Em seu regresso, um vizinho comprou seu martelo e pagou pela sua viagem. Outros vizinhos lhe compraram um alicate, uma chave de fenda e uma talhadeira, já que não tinham tempo para viajar.

A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam-lhe encomendas. E nosso amigo guardou as palavras que escutara muitas vezes: "Não disponho de tempo para viajar para fazer compras".

Um dia, ele se lembrou de um amigo que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E, por que não, também as chaves de fendas, alicates, talhadeiras etc. Assim, em poucos anos, ele se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.

Certa feita decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam também algum ofício.

No dia da inauguração da escola, o prefeito entregou-lhe as chaves da cidade, abraçou-o e disse:

– É com grande orgulho e gratidão que pedimos que o senhor Valentin, Valentin Tramontina, fale algumas palavras aos nossos alunos! Com este sobrenome dispensa apresentações. Este homem se transformou em um dos empresários mais respeitados do mundo.

REFLITA

Lembre-se da sabedoria da água: ela nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna. Quando alguém lhe fechar uma porta, não gaste energia com o confronto. Procure as janelas.

Autor: Desconhecido